RssFacebook StoreTwitter Store

AHRESP acusa municípios de “saque”

AHRESP acusa municípios de “saque”A cobrança de uma taxa municipal de ocupação turísticas sobre as receitas do alojamento turísticos levou a AHRESP – Associação da Hotelaria, Restauração e Similares de Portugal a acusar a ANMP – Associação Nacional de Municípios Portugueses de estar a promover um "saque".

 

Eis o comunicado na íntegra:

"A AHRESP – Associação da Hotelaria, Restauração e Similares de Portugal, repudia a iniciativa da ANMP – Associação Nacional de Municípios Portugueses que, está a propor que todos os Municípios cobrem uma Taxa Municipal de Ocupação Turística, sobre as receitas do Alojamento Turístico.

É inaceitável que a ANMP esteja a promover um "saque" de dezenas de milhões de euros, às depauperadas subsistências das nossas empresas, que diariamente veem as suas receitas e resultados caírem a pique.

Em época de acérrima competitividade internacional, com os nossos principais concorrentes, altamente subsidiados pelos seus governos, se esta proposta da ANMP fosse avante, o Destino Portugal sofreria um sério revés, e romperia com o atual modelo de financiamento turístico, adulterando os mais elementares princípios de equilíbrio entre os poderes público e a iniciativa privada.

Trata-se de um inopinado desespero, só explicável pela perda de razão, ao querer "matar a galinha dos ovos de ouro", que poria em causa a luta conjunta, em que todos estamos envolvidos, para manter o Turismo na liderança das exportações, quando sabemos que Portugal pouco mais tem para garantir, com assertividade, o necessário equilíbrio da nossa balança comercial.

Sabem a ANMP, e todas as Autarquias, que as várias taxas Municipais (algumas de duvidosa legalidade) e os Impostos, com destaque para os internacionalmente famosos 23% de IVA sobre os serviços de Alimentação e Bebidas, e que no seu total perfazem cerca de uma centena taxas e impostos, com que oneram as nossas empresas, desde o processo de instalação e licenciamento, até ao nosso regular funcionamento, são uma invulgar listagem de descriminações, que agravam os custos de contexto, e que nos retiram a vital competitividade com os destinos nossos concorrentes.

Apelamos ao bom senso, e à razoabilidade, num Portugal que, mesmo em crise, deve demonstrar coesão territorial, com políticas de estabilidade tributária, e de promoção e atração do investimento.

Em período de campanha eleitoral para as autarquias, estamos certos que os nossos Empresários saberão questionar, todos os candidatos, sobre esta inconcebível iniciativa, exigindo-lhes políticas responsáveis e posições claras".

Fonte: AHRESP

Lisboa Vista de Fora

o-fado-e-a-razao-mais-melancolica-para-visitar-lisboaQuem o diz é o The Telegraph que publicou um artigo dedicado ao género musical português. De acordo com o jornal, o fado está na moda e, em Lisboa, há quatro maneiras de saber mais sobre esta arte: o palco Fado no NOS Alive, o Museu do Fado, o Clube de Fado e o Open Mic Fado.
traveler-espanha-destaca-piscina-do-nh-collection-liberdadeUm prazer focar o olhar e deter-se nos telhados e nas ruelas. É assim que é descrita a vista da piscina do NH Collection Liberdade, em destaque na edição online da Traveler Espanha.
lisboa-entre-os-destinos-preferidos-para-acolher-congressos-internacionaisLisboa subiu três lugares no ranking mundial das cidades e alcançou o top 10 das mais solicitadas para acolher congressos associativos internacionais em 2015, indicam dados agora divulgados pela ICCA – International Congress & Convention Association.