RssFacebook StoreTwitter Store

Quer reclamar de uma companhia aérea? A AirHelp diz-lhe o que fazer

Quer reclamar de uma companhia aérea? A AirHelp diz-lhe o que fazerFoi para garantir que os passageiros são devidamente indemnizados quando algo corre mal nos seus voos, seja um atraso, cancelamento ou recusa de embarque, que nasceu a AirHelp, uma empresa que se propõe a tratar de toda a burocracia que um processo envolve e garantir que o cliente recebe a devida compensação. Em Portugal, e só em 2015, mais de 2 mil pessoas já receberam indemnização.


Bernardo Candeias, country e marketing manager para Portugal, explica que a ideia surgiu de uma má experiência dos fundadores da AirHelp, Henrik Zillmer e Nicolas Michaelsen. Ao reclamarem com uma operadora e decidirem levar o processo até ao fim, os profissionais perceberam “que o sistema de reclamações das companhias aéreas estava incapaz, desatualizado e sem qualquer método. Depois de meses de pesquisa e de muitos caminhos sem saída, os dois aceitaram a missão de ajudar os passageiros que estão na situação que eles viveram e que não sabem o que fazer”.

Em Portugal, a AirHelp opera desde maio de 2014 e, segundo o country manager, constitui um mercado importante e apelativo dado o aumento da emigração e deslocações periódicas“. Mais afluência origina eventualmente mais problemas que os passageiros possam enfrentar em falhas de serviço na operacionalidade das companhias aéreas. É aí que a AirHelp entra no jogo. Para resolver os problemas dos passageiros e evitar que passem pelo transtorno das reclamações e serem ressarcidos das compensações monetárias a que têm direito”, salienta Bernardo Candeias.

Na tarefa de ajudar os passageiros, os colaboradores da AirHelp têm acesso à maior base de dados do mundo de voos atrasados, cancelados ou sobrelotados, sabendo por isso o que acontece em determinado voo e se as pessoas têm ou não direito a receber uma indemnização. Caso uma simples reclamação não resolva, a equipa disponibiliza-se a avançar com uma ação judicial contra a companhia aérea, que é conduzida por profissionais de Direito e também conhecedores da legislação referente ao transporte aéreo.

“Sem a AirHelp, o passageiro teria de passar por todo um longo processo burocrático que difere de companhia para companhia, acabando por despender muito tempo e dinheiro na contratação de um advogado que o represente numa eventual ação judicial. A AirHelp é a solução ideal, sem perder tempo nem dinheiro”, defende Bernardo Candeias.

O requerente não paga qualquer valor pela submissão de uma reclamação, que pode ser efetuada através do site ou da app AirHelp: “Não existe nenhum valor que o passageiro lesado tenha de pagar para o representarmos numa reclamação. Se ganharmos o caso, o passageiro recebe a indemnização através da AirHelp deduzindo a nossa taxa do serviço prestado. Se não tiver sucesso, todo o processo é completamente gratuito para o passageiro”, refere o country manager para Portugal.

O tempo normal de resolução situa-se entre as 6 e 8 semanas, mas se for necessária ação judicial este tempo pode prolongar-se.

rs@briefing.pt 

Lisboa Vista de Fora

o-fado-e-a-razao-mais-melancolica-para-visitar-lisboaQuem o diz é o The Telegraph que publicou um artigo dedicado ao género musical português. De acordo com o jornal, o fado está na moda e, em Lisboa, há quatro maneiras de saber mais sobre esta arte: o palco Fado no NOS Alive, o Museu do Fado, o Clube de Fado e o Open Mic Fado.
traveler-espanha-destaca-piscina-do-nh-collection-liberdadeUm prazer focar o olhar e deter-se nos telhados e nas ruelas. É assim que é descrita a vista da piscina do NH Collection Liberdade, em destaque na edição online da Traveler Espanha.
lisboa-entre-os-destinos-preferidos-para-acolher-congressos-internacionaisLisboa subiu três lugares no ranking mundial das cidades e alcançou o top 10 das mais solicitadas para acolher congressos associativos internacionais em 2015, indicam dados agora divulgados pela ICCA – International Congress & Convention Association.