O que valorizam os portugueses quando viajam de avião?

  • Imprimir

 O que valorizam os portugueses quando viajam de avião?A comodidade e a acessibilidade estão no topo dos requisitos dos portugueses quando se trata de voar, indica um estudo da agência online de viagens eDreams realizado com o objetivo de conhecer as preferências dos turistas na hora de viajar de avião.


Durante o voo, os portugueses dizem “não” a tabaco, álcool e sexo, e dos inquiridos, na grande maioria mulheres, cerca de 75 por cento, com idades acima dos 31 anos, afirma que gostaria de ter um melhor serviço de wi-fi a bordo, melhores preços e lugares mais espaçosos e confortáveis.

A disponibilização em voos de curta distância dos mesmos serviços de refeições e entretenimento existentes em voos de longo curso, tais como filmes, música, jogos, café, água e um pequeno lanche, são necessidades identificadas também pelos utilizadores portugueses no estudo “Viagens do Futuro”, uma análise que resulta de um inquérito realizado a mais de 8.378 utilizadores eDreams.

Cerca de 44 por cento dos intervenientes neste estudo disse também que a existência de jogos a bordo com oferta de voos e descontos em viagens seria uma opção a ter em conta durante o voo, enquanto 34 por cento elegeu serviços de massagem e 28 por cento a possibilidade de integração de atividades de entretenimento e diversão.

Quando questionados sobre se deveria existir um limite na quantidade de álcool consumida no avião, cerca de 35 por cento acha que deveria ser mesmo proibido, enquanto 32 por cento responde sugere duas bebidas em voos de curta distância.

No que respeita ao tabaco, quando questionados sobre a inclusão de uma sala especial para fumadores em voos de longa distância, 52 por cento dos inquiridos recusa esta hipótese, enquanto 31 por cento considera que seria uma boa opção, desde que a área em causa estivesse totalmente isolada da restante cabina.

Quanto às zonas privadas que permitem aproveitar o tempo de voo com alguém especial, 46 por cento dos portugueses discorda, enquanto 21 por cento assegura que poderá ser uma opção a ter em conta, desde que seja assegurada a privacidade. Já o preço do serviço parece ser consensual, com 67 por cento dos utilizadores a referir que não pagaria mais de 20 euros para usufruto desta zona.

Sobre viajar com animais de estimação, apenas 27 por cento dos portugueses diz que deveria ser permitido que viajassem juntamente com os donos na cabina do avião, enquanto 37 por cento declara discordar.

Para a presente análise, foram avaliadas as opiniões de mais de 8.300 utilizadores da agência de 10 países: Portugal, Espanha, Alemanha, Itália, França, Reino Unido, Dinamarca, Finlândia, Suécia e Noruega.

welcome@briefing.pt