RssFacebook StoreTwitter Store

Aumento das taxas aeroportuárias: competitividade em causa

Aumento das taxas aeroportuárias: competitividade em causaO aumento das taxas aeroportuárias no aeroporto de Lisboa, anunciado pelo secretário de Estado dos Transportes no âmbito do processo de privatização da ANA, afeta dramaticamente a competitividade do Turismo em Lisboa, do Alentejo e do Centro e põe em causa o hub da TAP, refere a Associação Turismo de Lisboa em comunicado

 
Eis o comunidado na íntegra:

"O custo do transporte aéreo para Lisboa é atualmente mais caro cerca de 25 por cento do que para as principais cidades concorrentes, levando a que a rentabilidade do nosso turismo seja bastante menor do que a de outras cidades europeias concorrentes.

Ao aumentar-se as taxas aeroportuárias de Lisboa irá acentuar-se este fator negativo, tornando o transporte aéreo – do qual o nosso destino turístico depende em 90 por cento – mais caro ainda e, consequentemente, menos competitivo em relação à concorrência.

A concretizar-se esta medida, o setor do turismo de Lisboa, que atualmente contribui em mais de 30 por cento para as receitas do Turismo a nível nacional, irá defrontar-se com duas alternativas dramáticas: ou perde quota de mercado em virtude do aumento do preço ou serão as empresas turísticas, designadamente a hotelaria, a procurar suportar este acréscimo de custos. Em qualquer dos casos, o cenário previsível será de diminuição de receitas do turismo, encerramento de empresas e desemprego.

Acresce que o aeroporto de Lisboa, para além dos turistas que têm como destino final a região, também alimenta os destinos turísticos do Alentejo e Centro, que não dispõem de aeroporto e que são dos destinos menos desenvolvidos de Portugal.

É, assim, contraditório que o secretário de Estado afirme que o aumento das taxas aeroportuárias no Aeroporto de Lisboa se destina a "promover a coesão social e territorial" do país, na medida em que a diminuição de competitividade de Lisboa não irá beneficiar nenhum dos restantes destinos nacionais, com os quais Lisboa não concorre, e, pelo contrário, irá beneficiar outros destinos europeus, designadamente os espanhóis, como Barcelona e Madrid.

Recorde-se que esta medida agora anunciada vem na sequência de outras tomadas no passado recente, como a diminuição do investimento na promoção de Lisboa em 700 mil euros/ano e a inviabilização de diversos eventos, bem como da proposta de lei das entidades regionais de turismo recentemente aprovada que, a concretizar-se, poderá desarticular a gestão do destino Lisboa e a sua promoção.

Por outro lado, com a decisão agora anunciada, parece que o governo se desinteressou do destino da TAP, que detém uma quota de mercado superior a 50 por cento no aeroporto de Lisboa onde tem instalado o seu Hub. Como é evidente, o aumento das taxas aeroportuárias irá onerar significativamente a operação da TAP e tornar economicamente problemática a manutenção do hub em Lisboa.

Parece, assim, tornar-se cada vez mais evidente a existência de uma estratégia de menorização de Lisboa e da sua região, que não tem em conta as consequências de tal estratégia para o conjunto da economia nacional".

Fonte: Associação Turismo de Lisboa

Lisboa Vista de Fora

lisboa-entre-as-50-melhores-cidades-do-mundoLisboa subiu nove lugares, para a 26.ª posição, na lista das 50 Melhores Cidades do Mundo, agora divulgada pelo The Telegraph e incluída no Travel Awards do jornal.
lisboa-e-um-dos-melhores-destinos-do-mundo-e-da-europaA cidade de Lisboa foi eleita o 12.º melhor destino do mundo e o 7.º melhor da Europa. As distinções foram atribuídas pelos Traveller’s Choice 2016, do tripadvisor, que premiou também os 10 melhores locais de Portugal.
lisboa-a-cidade-mais-cool-da-europa-a-conde-nast-traveler-diz-que-simPor que Lisboa é na atualidade a cidade mais fixe da Europa dá o título ao artigo que a Condé Nast Traveller dedica à capital portuguesa, ao longo do qual enumera e elogia a sua oferta turística diversificada.
cinco-boutique-hoteis-de-lisboa-que-desafiam-para-uma-escapadinhaSão pequenos hotéis boutique, em Lisboa, que têm como denominador comum o facto de terem sido criados com paixão e entusiasmo por verdadeiros apaixonados pela cidade, escreve a edição espanhola da Condé Nast Traveller a propósito dos cinco que recomenda.